Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Insensato

(In)correto com sentimento.

(In)correto com sentimento.

Insensato

16
Set17

Lamento à Incógnita

P.P.

 

Close Door by PV - Flickr

 

 

   Quantas vezes o sofrimento é mensurável? 

A matemática da vida não permanece objetiva e o conjunto solução é tantas vezes vazio ou infinito. 

 

   Nos acordes das notas de sangue, em Dó maior, a dor da alma arrisca-se a anular as fragrâncias que aquela porta encerra, a par das memórias de uma vida, agora quase sem cor. 

De que adianta gritar, quando o mundo desvirtualiza o que é nosso?

 

Assim, aos poucos se morre.

Na espera.

Na oração.

Da esperança.

 

Temporariamente sós, até àquele lapso da vida que nos remete para a incógnita.

 

 

02
Set17

Um quadro, Aquele olhar

P.P.

20170901_O meu quadro pela Saal Digital

 

   Um fim de tarde, em Espinho, perante uma majestosa tempestade que perante mim se formou.

Um click para recordar as nuvens e o oceano, seguido de muitos outros, até que as lágrimas de um céu bandido, dotado de armas mortíferas insultou-me, impedindo-me de lá continuar. 

 

   A empresa Saal Digital permitiu-me eternizar um dos meus olhares, através da criação de um quadro de decoração. Com  o software disponibilizado no sítio eletrónico, pude escolher o fundo desajado, dimensões, posição da fotografia...

 

   Experimente.

Lá, pode ainda criar álbuns digitais, posteres e produtos de fine art.

25
Ago17

A bicicleta

P.P.

Viajar aos tempos de maior simplicidade é sempre um prazer. Aquele meu lado revivalista.

A bicicleta by PP

 

06
Ago17

Leitura #3 De Negro Vestida

P.P.

   Este é o livro que a minha mãe, nos seus 66 anos, devorou num ápice. De João Paulo Videira, da Chiado Editora, um retrato de muitas mulheres da sua geração. Diz-nos o autor que,

 

Este romance, ao dar voz à mulher, ajusta contas com o homem. Incapaz de distinguir o sexo do amor, incapaz de respeitar a mãe dos seus filhos. O homem cobridor!"

 

 

 

20170805_De Negro Vestida por PP

 

05
Ago17

Fotografia #11 Olhar sedento

P.P.

   Longe vão os dias em que ousava retocar os seus lábios de vermelho sangue.

Insensata à luz da sedução, aquele cruzar de pernas rendia-lhe o paraíso jamais ambicionado pelos moradores de rua.

Naquela dia, sedenta do elixir fálico do amante, enquanto o carro preto servia de esconderijo aos segredos mais profundos da sua condição, nada a fizera prever que a sua mão iria ao encontro de algo hirto e relativamente grosso. O punhal que se inteirou do seu corpo, no rodopio dos segredos de um certo senhor do Estado, para o qual a verdade da mentira jamais podia emerger.

P.P. 

 

 

IMG_20170804_153008_508 do meu arquivo pessoal

 

07
Jun17

Citação #5

P.P.

Perda  de João Tavares & Silvestre Fotografia

 

 

 

Entende: quem não te procura, não sente a tua falta!

 

 

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

No

Follow

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Facebook

Estamos em

Instagram

Direitos

Copyrighted.com Registered & Protected 
OEUB-OLVX-XIX7-YGES