Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

Pelas 3 temporadas da série The Affair

Novembro 19, 2017

P. P.

the-affair T3

 

   Comecei por ver a série The Affair, no TV Séries, então na sua 1.ª temporada. Em boa hora foi introduzida na plataforma Netflix. Ontem, dei por concluído o visionamento da 3.ª temporada, aguardando desde já, a próxima. 

 

 

   Esta é uma série dramática, que explora a sexualidade de dois casais, na 1.ª temporada, aos quais juntam-se outros personagens com o desenrolar da história. O erotismo, se assim se pode chamar, e a nudez são utilizados com elegância e de forma contextualizada. Sobretudo, os perfis dos intervenientes, com excelentes interpretações por parte dos diferentes atores, é dado a conhecer, apresentando-se o ponto de vista de cada um deles, as perceções, perante as situações de maior relevância.  

 

   Nesta temporada, o tema central consiste no relacionamento entre Alisson (Ruth Wilson) e Noah (Dominic West) e as consequências que para ambos e suas famílias. Ele, um escritor frustrado, com o pouco sucesso do seu primeiro livro, casado com Helen (Maura Tierney) e pai de 4 filhos, decide passar as férias na casa dos sogros em Long Island e lá conhece Alisson, uma empregada de mesa casada com Cole (Joshua Jackson), que procura superar o trauma da morte do filho de 4 anos e assim manter o casamento. A perceção de ambos, a respeito de como se conheceram, é desde logo apresentada aos telespetadores. Na perceção de Noah, ele sai para passear na praia e encontra Alisson, que o convida para acompanha-la até sua casa, Noah resiste as investidas da bela mulher e resolve ir-se embora. Na versão de Alison, é Noah quem se oferece para acompanha-la até sua casa. Lá, ele beija-a e ela afasta-se.

Helen e Cole são os cônjuges traídos, personagens complexas que apresentam sentimentos muitas vezes contraditórios. Cole é o marido que ama a esposa e tenta refazer o casamento após a perda do filho. Carinhoso, com alguns traços de agressividade e passividade, quando confrontado com a situação com a esposa. Helen também tenta refazer o casamento, após a descoberta da traição do marido, uma mulher frágil mas disposta a tudo para manter a família unida, ao se separar de Noah. Em simultâneo, decorre um inquérito a Noah e Alisson, o que cria um certo suspense. 

 

 

   Na 2.ª temporada, um crime acidental e as consequências do livro escrito por Noah dão maior complexidade dramática às personagens e seus relacionamentos, na respetiva teia social.

 

   Noah assume-se como responsável por um crime que não cometeu, o que trará implicações com os filhos.

 

   Relativamente à 3.ª temporada, esta tem início alguns anos depois do ocorrido na 2.ª temporada. Noah (Dominic West) saiu da prisão e está a tentar reorganizar a sua vida. Helen (Maura Tierney) não sabe se deve deixar Noah no passado e continuar a sua vida com o seu novo namorado, Vic. Alison (Ruth Wilson) está de volta a Montauk depois de ter estado internada numa clínica de reabilitação, e luta pela custódia da filha, Joanie. Cole (Joshua Jackson) encontra-se na melhor fase da sua vida. O seu negócio corre às mil maravilhas, tem uma família feliz junto de Luísa e de Joanie, mas o regresso da sua ex-mulher vai agitar a tranquilidade da sua vida.

   Uma nova personagem e respetivas perceções entram em jogo, o de Juliette. Uma professora universitária, colega de Noah, que procura uma relação extraconjugal leve, por forma a "esquecer" o sofrimento enquanto esposa de um doente de Alzheimer, mais velho do que ela, a residir em França. Ela procura uma relação estável. Nesta temporada, Noah é um personagem que cativa, humana e cujos traumas são dados a conhecer. O enredo da história tomou uma nova dinâmica, isto porque os personagens estão mais distantes uns dos outros. Há momentos em que cada memória/perceção funciona individualmente. E por não termos uma segunda perspetiva dessa recordação, somos obrigados a acreditar que aquela é a verdadeira versão.

 

   De acordo com vários críticos, até então, Noah foi a personagem mais desinteressante da história e adquire, nesta temporada, um papel quase central dos acontecimentos, dando-se ênfase à instabilidade do personagem, assim como ao seu processo de luto pela morte da mãe. Também nesta temporada a carga criminal está presente. Um dia, ao regressar a casa, já no WC, Noah é esfaqueado no pescoço...

 

 

7 comentários

  • Imagem de perfil

    P. P. 20.11.2017

    Não te "puxa para sentimentos negativos". Faz pensar, é certo. 
    E tens sempre as cenas mais ousadas para te divertires (achas que acredito nessa do "fazer rir"?) Se bem que, agora que muitos estão a aderir às placas Kanguru, dada a célere resolução do problema com a internet fixa (daqui a um ano já a terei?), o que reduz a minha velocidade de ligação, quem começa a precisar de rir sou eu. Image


    Uma coisa aprendi, todos erramos. E por vezes, por vários fatores, podemos trair ou ser traídos. Penso que falar a esse respeito e procurar perdoar é um caminho. Se a relação continua a mesma, ... há sempre uma ponte que se cria. Só que, quem não erra?
  • Sem imagem de perfil

    Remus 21.11.2017

    Tretas...
    Quem ama realmente, não trai.
    Quem não ama realmente, o que está a fazer na relação?!
  • Imagem de perfil

    P. P. 21.11.2017

    Quais tetas, rapaz? 
    Uma coisa é certa... O amor morre.
  • Sem imagem de perfil

    Remus 21.11.2017

    É claro que o amor morre. Mas se morre, acaba-se a relação e então sim parte-se para outra relação, de uma forma livre e honesta.
    Manter as coisas num limbo, onde se dá azo à traição, é mostrar o quanto egocêntrico se é e sem o mínimo respeito pelo outro elemento da relação.
  • Imagem de perfil

    P. P. 21.11.2017

    Ora aí tens o Noah da T1!
  • Sem imagem de perfil

    Remus 22.11.2017

    Se assim é, então ele é um grande homem.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Direitos

    Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

    Arquivos

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D