Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

19
Mar18

Uma música para o Dia do Pai

por P. P.

   Muitos de nós já perdemos o pai, alguns antes do "tempo previsto", envolvendo uma dor indiscritível. Esta é a dor da saudade!

 

 

nick-wilkes-490-unsplash

Photo by Nick Wilkes on Unsplash 

 

 

   Quantos de nós, durante grande parte da vida do nosso progenitor não conseguiu estabelecer laços? Quantos foram vítimas dos traumas deixados pela Guerra do Ultramar? Quantos não associam esta figura à violência, física ou psicológica, sendo que esta última deixa marcas quase irreversíveis? Seja como for, há a saudade. Não nos compete julgar reações que possam estar associadas ao passado do outro. Todavia, de forma quase incoerente, em muitos a raiva não morre. Mas, o ódio corrói. Há que saber perdoar e tentar compreender. Claro que não estou a considerar tentativas de assassinato, violações e outros atos hediondos.

 

   Aqueles que ainda têm pai devem aproveitar cada minuto. Não sabemos o que acontecerá, nas nossas vidas, passado um minuto. É impreterível conversar e em casos semelhantes aos citados, procurar ajuda de um especialista. 

 

   Nos anos 70, Fábio Jr. lançou o tema que descreve o que é a relação com muitos dos nossos progenitores masculinos.

 

 

Feliz Dia do Pai, sem materialismo, mas com palavras e atos.

 

Leia a letra e escute ainda, se assim quiser, em português do Brasil, por forma a que todos possam entender a mensagem, os seguintes 3 temas.

 

Meu Herói

 

11 Vidas

 

Te Amo Pai

 

 

Pai
Pode ser que daqui algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos
Pai e filho talvez

Pai
Pode ser que daí você sinta
Qualquer coisa entre esses 20 ou 30
Longos anos em busca de paz

Pai
Pode crer eu tô bem, eu vou indo

 

Tô tentando vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer

Pai
Eu não faço questão de ser tudo
Só não quero e não vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você

Pai
Senta aqui que o jantar tá mesa
Fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensina esse jogo da vida
Onde vida só paga pra ver

Pai
Me perdoa essa insegurança
É que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo
Nos seus braços você fez segredo
Nos seus passos você foi mais eu

Pai
Eu cresci e não houve outro jeito
Quero só recostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa
E brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar

Pai
Você foi meu herói, meu bandido
Hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você, nem ninguém tá sozinho
Você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz 

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook