Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

Viver sem Permissão

Março 01, 2019

P. P.

Vivir sin Permisso

 

    A demência, quando diagnosticada atempadamente, possibilita alguns anos com qualidade de vida, ao seu portador.  Esta fase pode marcar uma reflexão profunda a respeito dos erros de uma vida. O doente, tem o direito de ocultar o seu estado à família e amigos, embora este não me pareça o melhor caminho.

 

    Em Vivir Sin Permisso, série espanhola, da Telecinco, filmada na Galiza, o clã do narcotráfico, Nemo Bandeira, ao deparar-se com o diagnóstico de Doença de Alzheimer, logo dá início à procura de um sucessor.  Entre os filhos e o afilhado a escolha não parece fácil. Há ainda uma filha bastarda, fruto do seu único e grande amor - o primeiro. Esta, não habituada a uma vida de luxo e refutando muitas das ofertas do pai, mantém uma relação muito boa com o seu meio-irmão, homossexual e drogado. Por outro lado, a assertividade que lhe assiste, serve de referência ao pai e aos erros cometidos no passado. Doente, apercebe-se que não devia ter deixado o seu grande amor e que o dinheiro de nada serve, quando não se constrói uma família com laços. A inveja e a ambição são capazes de transformar algumas pessoas, tornando-as assassinas. O mesmo se passa com o desejo de vingança...

 

    Com um elenco de luxo, cenários magníficos e belezas naturais encantadoras, o argumento somente falha um pouco, no início, no que concerne às especificidades da doença de Alzheimer. De resto, os episódios deixam-nos sedentos de continuar a acompanhar a história, que não se esgota nem repete. Quando os seus direitos foram adquiridos pela Netflix, já a 2.ª temporada desta série estava prevista. 

 

    Uma série imperdível, como pode ver no trailer

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D